Links internos para SEO : um guia prático

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Quando pensamos em estratégia para SEO, uma coisa é certa: vamos falar de links internos. Afinal, criar uma rede de conexões do seu próprio domínio é essencial para qualquer site. Você pode até não perceber, mas se você chegar até um site através de uma pesquisa no Google, certamente este site tem uma estratégia de links internos.

Mas sabemos que mesmo que seja algo importante, muitas pessoas têm dúvidas ao criar uma estratégia de links internos. Por isso, vamos abordar este assunto neste guia prático.

Assim você aprenderá sobre este fator essencial para o SEO do seu site,e, consequentemente, vai melhorar seus rankings.

Além disso, você também vai aprender a:

  • Ajustar links internos com problemas;
  • Ajustar redirects de links internos;
  • Remover links internos de páginas sem relevância;
  • Melhorar links diretos para páginas importantes;
  • Solucionar problemas de “páginas órfãs”.

Por que links internos são tão importantes para o SEO

Resumidamente, a importância se dá porque o Google usa os links internos para descobrir novos conteúdos.

O que o Google fala sobre esse assunto:

O Google precisa constantemente pesquisar por novas páginas e quando as encontra, adicioná-las à sua lista de páginas conhecidas. Algumas páginas são conhecidas porque o Google já fez o rastreamento antes, outras são descobertas quando um link direciona o algoritmo até uma nova página.

Além disso, links internos são muito importantes para melhorar o PageRank de um site. Mesmo que esta não seja uma métrica visível para usuários comuns, o Google considera o PageRank de páginas e sites. E com uma boa estratégia de links internos, é possível melhorar os índices de PageRank de um site.

Entenda tudo sobre PageRank em nosso artigo completo: PageRank do Google não está morto: saiba porque ainda importa.

Como criar uma estrutura de links internos ideal

Para começar a montar essa estrutura, é interessante considerar o seu site como uma pirâmide. No topo estão os conteúdos mais importantes, enquanto que na base da pirâmide estão os conteúdos menos importantes.

Normalmente a página principal, que fica no topo da pirâmide, vai ser a página inicial do site. Abaixo dela, é comum encontrar outras páginas importantes como:

  • Sobre
  • Serviços
  • Produtos
  • Clientes
  • Blog
  • Entre outras.

Depois deste nível, temos outras páginas como a discriminação de serviços e produtos individuais, blog posts, etc.

Mas quando falamos de linkagem interna, uma estratégia mais abrangente deve ser criada. Você não pode simplesmente citar a página inicial do site em todos os blogposts.

Crie Clusters de conteúdo

Na verdade, o que você deve fazer é separar os conteúdos de um blog, por exemplo, em diferentes categorias. E a partir disso, conectar diferentes conteúdos sobre assuntos similares. Para decidir como fazer isso, é sempre importante considerar o que o seu cliente faria. 

Com um desenho de buyer persona bem feito, essa tarefa se torna mais simples e é possível chegar em uma lógica que faça sentido para o seu blog. E um ponto importante aqui é que provavelmente ao fazer esse exercício, você vai perceber a necessidade de escrever conteúdos sobre diversos outros assuntos.

Veja um exemplo de páginas em um site que fala sobre cidades e países ao redor do mundo:

links internos seo silos Fonte: Ahrefs.

Em vez de deixar o conteúdo assim solto, com países e cidades misturadas, o melhor é agrupá-las em clusters de conteúdos. Veja como o conteúdo fica mais claro e organizado dessa forma:

links internos seo

Fonte: Ahrefs.

Os benefícios de organizar as suas páginas dessa forma, com links internos entre elas, são:

  • Os usuários conseguem acessar mais páginas do seu site sem perder o interesse no conteúdo.
  • Os motores de busca como o Google vão entender com mais facilidade a estrutura do seu site.
  • As páginas mais importantes vão transferir sua autoridade para as páginas secundárias, influenciando a relevância geral do domínio.

Utilize a estratégia para produtos, serviços e até mesmo depoimentos

Agora que você conseguiu organizar o seu blog a partir de clusters de conteúdo, é possível utilizar a mesma metodologia para outras páginas do seu site. Se você trabalha com produtos de diversas categorias, essa organização vai ajudar, e muito, a experiência do usuário.

E como consequência, a leitura dos algoritmos do Google sobre o seu site também vai ser mais fácil. Aumentando assim a relevância do seu domínio.

Como verificar se os seus links internos estão com problemas

Tudo o que já mencionamos aqui faz muito sentido, principalmente para quem está começando um site do zero. Se você já possui um site e quer melhorar a sua estratégia de links internos, é preciso tomar alguns cuidados.

Antes de mais nada, você deve entender como verificar se os links internos que já estão em uso no site ainda estão ativos. E você pode fazer essa análise usando extensões do Google Chrome, ou com programas pagos que vão gerar relatórios mais completos.

Hoje vamos apresentar duas extensões do Chrome para você fazer a auditoria de todos os links internos das suas páginas.

  1. Check My Links

Se você precisa de uma ferramenta para rapidamente verificar todos os links de uma página, o Check My Links é a sua melhor opção.

Para usar você deve clicar no ícone que vai ficar no canto direito da barra de endereço no Google Chrome. Automaticamente a extensão verifica os links internos da página em que você está. Se os links internos estiverem funcionando, serão destacados em verde. Já os links internos com problemas, ficarão marcados em vermelho com um código de erro.

  1. Domain Hunter Plus

Esta outra extensão para Chrome funciona da mesma forma que o Check My Links. Para usá-la, basta clicar no ícone e aguardar a análise dos links da página.

Links quebrados: como resolver o problema?

Quando você realiza uma análise de links internos em uma plataforma ou extensão do Google Chrome, pode ser que encontre alguns problemas. Por isso, é importante entender como resolver eles, ou pelo menos os que mais acontecem.

  • Se a página foi excluída por acidente, você pode restabelecê-la com a mesma URL.
  • Criar um link de redirect para outra URL relevante.

E se os links internos forem páginas com redirect?

Se os links internos estão funcionando, mas estão com linkagem interna que está usando redirect, é preciso verificar estes links. Afinal, com o redirect o seu link interno pode estar enviando o usuário (e o Google) para páginas sem relação direta com a página em que o link foi colocado.

O que fazer com links internos que levam a páginas sem relevância?

Outro ponto que deve ser observado ao realizar a auditoria de links internos do seu site, são as páginas sem relevância. Estas podem ser campanhas antigas de produtos que não são mais vendidos. Ou então itens de lançamento que depois de alguns meses não devem mais ser chamadas dessa forma.

Para evitar este problema, é sempre importante fazer um mapeamento da linkagem interna que está sendo feita. E também, revisar as páginas conforme estamos descrevendo neste guia. Assim você evita problemas no futuro e consegue identificar com maior facilidade as páginas que perdem relevância.

Melhorar links diretos para páginas importantes

Neste ponto, a situação que deve ser analisada é a seguinte. Considere que você tem 5 páginas do seu site que juntas trazem o maior volume de tráfego para o seu domínio.

Mas quando você analisa estas 5 páginas, elas estão muito distantes (em quantidade de cliques) da página principal do site. Isso pode acontecer se um item muito específico que fica dentro de uma subcategoria do site acaba se destacando e gerando muito tráfego.

Assim, se você identificar este problema o ideal é conseguir fazer um link interno da página inicial do site com estas páginas mais relevantes do domínio.

Como solucionar problemas de “páginas órfãs”

Quando identificamos uma página que não contém links internos, chamamos esta página de “órfã”. E se você considera alguma página do seu site importante, esta jamais pode ser uma página órfã. 

Existem dois motivos principais para isso:

  1. O Google não vai encontrar essa página organicamente (a não ser que você envie o seu sitemap através do Google Search Console ou tenha backlinks de outros sites que levam usuários até a página em questão).
  2. Não haverá troca de PageRank entre páginas, pois não existem links para fazer isso.

Dessa forma, se você perceber que uma página importante ou já com bom tráfego orgânico é órfã, é preciso adicionar alguns links internos para que os resultados sejam ainda melhores.

Como usar os links internos estrategicamente

Agora você vai entender de que forma é possível utilizar o Google para identificar as oportunidades de linkagem interna no seu domínio. Com isso, a autoridade da sua página cresce de forma orgânica. Aprenda duas maneiras simples de fazer a sua estratégia de links internos acontecer.

  1. Faça uma pesquisa “site:”

Se você fez uma publicação recente em seu blog, mas sente que ainda precisa adicionar links internos no texto, você pode utilizar essa estratégia.

Faça uma pesquisa dessa forma: “site:seudominio.com” e escreva ao lado a palavra-chave ou frase relacionada ao conteúdo do texto que você publicou recentemente.

Com essa pesquisa, o Google vai mostrar para você como resultado as páginas que contenham as palavras que você adicionou na busca. Assim, se você digitar “site:upsites.digital otimização de sites”, o resultado será este:

Nesse exemplo, é possível ver que existem 208 páginas que falam sobre otimização de sites dentro do domínio da Upsites. Assim, fica mais fácil encontrar os links mais relevantes do seu site, conforme a palavra-chave que você precisa.

Quanto mais específica a sua busca, maiores são as chances de você encontrar poucos links. Mas essa pode ser uma boa ideia para adicionar links com conteúdo que seja realmente relacionado ao texto que foi produzido.

  1. Descubra quais são as suas páginas com mais backlinks e autoridade

Se você possui uma ferramenta que identifica o número de backlinks e autoridade das páginas do seu domínio, essa é uma ótima opção para melhorar a sua estratégia de links internos.

Isso acontece porque são essas páginas com maior autoridade que podem fazer diferença em qualquer site com links internos. 

Assim, ao identificar quais são as páginas com maior poder considerando ranqueamento e autoridade, você pode selecionar as principais e adicionar seus links a outros conteúdos como páginas de produtos ou blog posts.

Considerações finais

Talvez você já tenha percebido, mas não custa reforçar: trabalhar com links internos não é uma ciência exata. Assim como diversos outros pilares do SEO, existem muitas variáveis envolvidas em um ranqueamento nos buscadores, sendo impossível conseguir entender 100% como tudo funciona.

O que você precisa fazer é criar uma estrutura lógica para os seus links internos, e executar o planejamento de acordo com o esperado.

Algumas dicas importantes sobre trabalhar com links internos:

  • Não utilize sempre um texto principal para criar sua estrutura e links internos. Pelo contrário, é importante ter algumas páginas principais que possam servir como texto âncora do seu blog.
  • Não crie links internos de páginas que não têm relação com o conteúdo do blog post. Se você fizer isso e o Google identificar que algo está estranho, você certamente terá seu ranqueamento afetado.
  • Não exagere nos links internos. Não é preciso criar links para todas as palavras de um texto, e sim trabalhar de forma estratégica para conectar conteúdos importantes. Às vezes um ou dois links bem pensados vão valer mais do que 30 links soltos e sem relação com o conteúdo principal da página.

Portanto, estude muito bem as páginas que você já tem no seu domínio, entenda quais conteúdos ainda precisam ser criados, e comece a utilizar os links internos como uma estratégia diferenciada para SEO.

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email