Como montar um planejamento de redes sociais realmente efetivo?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Muitos empreendedores gastam tempo atrás de dicas práticas de como ter mais engajamento nas redes sociais, como alcançar mais pessoas, converter clientes e etc. E, claro, tudo isso é muito importante.

Mas, quando analisamos profundamente o que está por trás dos resultados de uma marca que aposta nessas mídias, chegamos sempre à mesma conclusão: tudo começa com um bom planejamento de redes sociais.

Ou seja: não adianta ter hack para ganhar seguidores ou seguir passo a passo o tutorial que ensina a criar posts incríveis se você não tiver um planejamento de redes sociais bom o suficiente para justificar e embasar todas essas iniciativas.

E, apesar de não ser necessariamente difícil, montar um plano de redes sociais efetivo dá trabalho. As variáveis que precisam ser consideradas são muitas e entender todas elas requer uma análise muito detalhada. 

Muitas vezes, o que faz com que uma estratégia ou campanha dê errado nem é o criativo, canal ou investimento: mas detalhes que passam desapercebidos, como o alinhamento com a persona, a escolha do objetivo de mídia adequado, a segmentação (que também falha se você não conhece sua persona), etc.

Então, para te ajudar a começar do jeito certo, preparamos este post! Nele, sintetizamos as bases de um bom planejamento de redes sociais em quatro passos essenciais. 

Passo 1: Diagnóstico 

Com o mercado em constante mudança, fazer com que sua marca cresça e se mantenha relevante requer uma análise constante do impacto que ela gera nos consumidores, bem como do que ela representa para o mercado de maneira geral. 

Um bom diagnóstico começa com o mapeamento de todas as variáveis internas (pontos fortes e fracos da marca) e externas (ameaças, concorrentes e possíveis fragilidades da marca). 

Além desse mapeamento, é preciso entender à fundo quem são os clientes da marca, qual é a sua visão, expectativas, dores, desafios e como eles se comportam nas redes sociais. Por meio da construção de Buyer Personas você poderá pensar em campanhas, conteúdos, anúncios e estratégias muito mais assertivas.

À medida que você faz esse diagnóstico, começa a ter condições de traçar também o voice deck da marca, ou seja: o tom de fala. 

Um recurso importante para isso é a construção da Brand Persona, ou seja, a personagem que representa a marca. 

Quando se tem a imagem da marca de maneira palpável (com um rosto, jeito de ser, valores, interesses, etc) fica muito mais fácil decidir como a empresa irá se posicionar em relação a diversos temas (mesmo os mais polêmicos) e, claro, qual tom ela irá usar para interagir com seus seguidores e clientes nas redes sociais.

Ainda dentro do diagnóstico, busque respostas para as seguintes questões:

  • qual a proposta de valor da marca? 
  • para quem ela vende? 
  • como ela se relaciona? 
  • quais canais de comunicação utiliza? 
  • quem são seus fornecedores? (se existirem)
  • quais as atividades principais que fazem a empresa funcionar?
  • quais recursos são exigidos para esse funcionamento?
  • quanto a marca gasta?
  • quanto a marca lucra no momento?

Essas são as perguntas básicas do Canvas Business Model que mostram de maneira abrangente sua empresa e o funcionamento dela. Mas, além de entender o ambiente interno do negócio, é preciso entender pontos externos, como:

  • Como a marca é vista perante o mercado? 
  • Em quais canais ela já está inserida?
  • O que os concorrentes estão fazendo nas redes sociais?
  • Quais são as principais ameaças para a marca?
  • De onde vêm os clientes atuais?

Essas perguntas vão guiar a análise do macro e o microambiente da empresa e são fundamentais para seu planejamento de redes sociais. Olhe também para a jornada e experiência do consumidor. E, se facilitar, aplique uma SWOT Digital. A ideia é entender tudo o que ajuda e atrapalha, seja no ambiente externo à organização ou dentro da própria empresa!

Você já deve ter percebido que não é à toa que o diagnóstico é o primeiro passo para um planejamento, certo? O que acontece nessa fase embasa praticamente tudo o que vem a seguir.

Passo 2: Objetivos

Aonde sua marca deseja chegar? Você já parou para pensar em qual é o propósito do negócio? 

Ter um propósito claro constrói marcas fortes e empresas poderosas. Por isso, analise como sua marca pratica esse propósito e tente entender como as redes sociais podem ser braços para ajudá-la nisso.

Depois, é hora de traçar objetivos claros, alcançáveis, mensuráveis e, obviamente, realistas.

Eles podem ser: 

  • aumentar um percentual de vendas;
  • gerar leads;
  • melhorar a visibilidade da marca;
  • gerar tráfego orgânico para um site ou e-commerce
  • ganhar autoridade, etc;

Cuidado para não chegar ao final desta etapa com trilhões de objetivos escalados. Defina aqueles que são prioritários e foque neles! Tentar chegar a vários lugares ao mesmo tempo pode tirar o foco do que realmente faz sentido e gera resultado.

Passo 3: Estratégias

Para alcançar seus objetivos, você precisará traçar estratégias.

Se você quer gerar leads, por exemplo, pode pensar em um calendário de lançamentos de e-books e webinários. E, claro, divulgar suas Landing Pages de inscrição nas redes sociais.

Se a ideia é aumentar as vendas, investir em anúncios, ter uma loja no Instagram ou criar posts para divulgação de produtos é fundamental.

Se o que você quer é melhorar a visibilidade da marca (e isso é importante para TODOS os outros objetivos que você possa ter), precisará investir em conteúdos de qualidade e em uma boa frequência de postagens. 

Para cada objetivo, alinhe estratégias e detalhe-as. Esse detalhamento inclui:

  • o que será feito? (post, ebook, aula, live, sorteio, promoção?)
  • em qual canal será feito? (aqui é onde você define em qual rede social irá atuar)
  • qual será o investimento? (a ação envolve mídia paga? Quais? Quanto você vai investir?)
  • qual será o conteúdo, formato? (se a estratégia inclui a criação de posts, você precisará pensar em linhas editoriais, temas, formatos, etc)

Esta é a fase onde você deve pensar também na segmentação das suas campanhas. O mundo é cheio de possibilidades, e focar nos públicos de interesse da marca garante que as estratégias traçadas cheguem às pessoas corretas.

Passo 4: Acompanhe métricas e analise resultados

O quarto – e superimportante – passo de uma boa gestão de redes sociais é o monitoramento dos resultados.

Esse monitoramento assíduo é o que te permitirá aprender e crescer sempre. Mas, existem muitas métricas de marketing digital, e nem sempre é tão fácil definir o que acompanhar.

Para te ajudar a entender isso, pense em primeiro lugar nos seus objetivos. Se quer vender mais, monitore vendas por canal. Se você quer aumentar a visibilidade da marca, meça número de seguidores e, claro, a taxa de engajamento nas redes sociais. Se a ideia é gerar leads, acompanhe o potencial de atração de leads de cada estratégia que fizer.

Mas, não se esqueça, mais importante que acompanhar resultados é otimizar sua estratégia a partir desses insights!

Conclusão

Como dissemos lá em cima, estruturar um bom planejamento de redes sociais é simples, mas dá trabalho! Existem muitas variáveis para considerar e fazer tudo isso pode levar algum tempo.

Mas, a boa notícia, é que seu planejamento pode embasar suas ações por um bom tempo. E fazer toda a diferença em seus resultados! Então, não há dúvidas que esse é um esforço que vale a pena, certo?

Se você quer se aprofundar ainda mais no processo de criação de um planejamento de redes sociais, veja gratuitamente esta aula com a especialista Liliane Ferrari.

 

***Este post foi escrito por Mariana Cabral, Head de Conteúdo da mLabs.

 

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email