6 dicas para economizar no frete das suas vendas pela internet

compartilhe esse post

Existe uma pergunta que não sai da cabeça de quem vende pela internet: como economizar no frete? 

Afinal, já não é segredo para ninguém que o valor da entrega é o principal motivo de desistência nas compras online. Quem nunca abandonou um carrinho por causa do preço do frete que atire a primeira “pedra virtual”, né? 

E é realmente possível oferecer um frete barato para vender mais? Ou não tem jeito mesmo?

Ao longo deste texto, vamos trazer várias respostas para esses questionamentos. As dicas que você encontrará aqui com certeza vão ser úteis para o dia a dia do seu negócio. Então vem comigo!

1 – Use a embalagem certa para economizar no frete

Usar embalagens adequadas vai te fazer economizar no frete. E quando digo adequadas, eu quero dizer o seguinte: a sua embalagem não pode ser maior do que o necessário!

A explicação para isso é o cálculo de cubagem, uma ferramenta usada pelas transportadoras para precificar o frete. Esse cálculo serve para estabelecer a relação entre o peso da carga e o espaço que ela ocupa no veículo.

Resumindo um pouco, a transportadora pode cobrar o seu frete com base no peso real ou no peso cúbico da carga.

Pense da seguinte forma: se você colocar um objeto muito leve em uma caixa muito grande, a transportadora vai cobrar pelo peso cúbico. Afinal, se trata de um objeto volumoso. E aí o seu frete vai sair mais caro.

pacote

Imagem: RawPixel

 

Um dos maiores erros cometidos por quem começa a vender pela internet é reaproveitar embalagens. Sabe como é… A pessoa começa a vender online, quer economizar e aí acaba usando algumas caixas que guardou em casa mesmo. 

Só que esse é o famoso barato que sai caro. Além de poder encarecer o frete, uma embalagem reaproveitada dificilmente vai causar boa impressão no cliente final — algo bem ruim para quem pensa em montar um negócio duradouro.

A embalagem protege o produto durante o trajeto, estabelece o primeiro contato do cliente com a sua empresa e ainda impacta o valor final do frete. Simplesmente não dá para ignorar esse item tão importante, não acha? 

Dica: você pode encontrar fornecedores de embalagem com facilidade no Mercado Livre (e em vários outros marketplaces). Os preços podem ser bem competitivos dependendo da quantidade adquirida. Vale conferir!

2 – Crie kits de produtos para diminuir a percepção do valor do frete

Os kits de produtos são muito utilizados nos pontos de venda físicos. Pense em qualquer supermercado, farmácia ou loja da sua cidade. Você provavelmente já comprou algum tipo de “combo de itens” em um desses estabelecimentos, né?

A estratégia também funciona nas vendas online. E com um diferencial bem legal: os kits de produtos ajudam o cliente a tomar a decisão de comprar na sua loja, pois minimizam a percepção sobre o valor do frete.

Fica mais fácil de entender com um exemplo, então vamos lá: qual das opções abaixo parece mais atraente para você?

 

  1. A) Comprar 1 camiseta por R$ 20,00 e pagar R$ 20,00 de frete 🤔
  2. B) Comprar 6 camisetas por R$ 120,00 e pagar R$ 20,00 de frete 🤔

 

Eu aposto que a opção B parece mais vantajosa para você. E o motivo para isso é simples. No caso da opção A, o valor do frete corresponde a 100% do valor do produto!

Já na opção B, o preço do frete não é tão representativo quando comparado com o total da compra, não acha? 

Seguindo a lógica do exemplo, ainda dá para fazer uma opção C:

 

  1. C) Comprar 6 camisetas por R$ 140,00 com frete grátis

Nesse último exemplo, o valor final da compra continua sendo o mesmo, mas adicionamos o gatilho mental do frete grátis na equação, um argumento ainda bastante poderoso no e-commerce brasileiro. 

O vendedor do print abaixo usou uma estratégia bem parecida com a do exemplo C: 👇

Exemplo de kit de produtos vendido no Mercado Livre

Fique de olho nas faixas de peso 

Talvez você já saiba, talvez não, mas o fato é que as transportadoras usam faixas de peso como uma das principais métricas para a precificação do frete. 

A imagem acima é um trecho de uma tabela de frete. Olhando para ela, fica bem fácil entender como funciona a ideia de faixa de peso, né?

Repare como os valores permanecem iguais para envios dentro da mesma faixa de peso. Na primeira linha da tabela de exemplo,vemos como fretes com peso entre 0 kg e 1 kg custam R$ 22,14.

Isso significa que uma carga com 0,1 kg e outra com 0,9 kg vão ser enviadas pelo mesmo preço: R$ 22,14. Para quem usa a estratégia dos kits de produtos, isso é uma ótima notícia! 

É claro que fatores como tamanho da embalagem utilizada e CEPs de origem/destino também influenciam o valor final, mas deu pra entender a lógica, né?

Ou seja: o ideal é que você crie kits que fiquem dentro de uma mesma faixa de peso. Com isso, o valor do frete não é alterado mesmo se você enviar vários produtos de uma vez.

3 – Se não puder economizar no frete, economize nos seus anúncios

No Brasil, as longas distâncias e a predominância do modal rodoviário fazem com que nem sempre seja possível economizar no frete.

Dificilmente um lojista do Sul do país vai conseguir oferecer entregas acessíveis para um cliente que mora no Norte, concorda? 

Para esse cliente, com quase toda a certeza vai ser mais barato comprar de algum vendedor localizado em uma região mais próxima. 

É por isso que anunciar para as regiões certas é tão importante. Nem sempre você vai conseguir economizar no frete, mas você pode fazer os seus investimentos em marketing serem mais eficientes — e isso também é um tipo de economia! 

Sempre direcione seus anúncios para clientes que vivem em localidades onde o seu frete é competitivo. 

Ferramentas como Facebook Ads e Google Ads permitem a criação de uma série de segmentações diferentes para a criação de anúncios. 

Imagem: RawPixel

Ao criar uma segmentação geográfica personalizada, você exibe os seus produtos para pessoas que têm mais probabilidade de comprar de você.

Pense no nosso lojista do Sul, aquele do exemplo acima. Se ele sabe que consegue oferecer entregas baratas para Sul e Sudeste, qual é o sentido de anunciar para regiões nas quais o frete dele não é competitivo?

Mas atenção: isso não significa que você não possa anunciar para regiões onde o seu frete é caro.

Se você trabalhar com um nicho bem específico de produtos, daqueles que não se encontram em qualquer lugar, você pode muito bem ter clientes dispostos a pagar um frete caro para receber o que você vende. É preciso analisar caso a caso, ok?

4 – Busque alternativas logísticas

Nunca dependa de um único fornecedor, não coloque todos os ovos na mesma cesta… Quem nunca ouviu frases assim?

A ideia por trás dessas expressões é bem simples: depositar toda a sua confiança em um só lugar pode trazer problemas!

Esse modelo de pensamento serve para várias áreas da vida, de investimentos à administração de um negócio. O frete não é exceção.

Para vender pela internet, você precisa contar com várias opções logísticas na manga.

Isso é bom para o seu cliente, que tem acesso a uma variedade maior de preços e prazos, e também é bom para você, que não fica dependendo de um único fornecedor para entregar seus produtos.

Confira abaixo algumas opções para diversificar o frete das suas vendas online. 👇

Imagem: Pexels

Procure entregas alternativas

Cada região tem suas particularidades. Às vezes, uma empresa de ônibus da sua cidade pode fazer entregas intermunicipais por valores bastante competitivos. Entregas via moto e bicicleta também são interessantes para regiões metropolitanas.

É claro: não existe solução mágica e viável para todo mundo. Mas vale a pena investigar quais opções alternativas de entrega a sua região disponibiliza. Uma grande economia pode estar esperando por você.

Faça contratos com transportadoras

Dependendo do seu volume de vendas, pode ser estratégico fazer contratos com transportadoras.

Além das empresa privadas disponíveis no mercado, os Correios possuem o Cartão Correios Fácil, um tipo de contrato bem interessante para quem está começando no  . Já é uma forma de começar a economizar no frete!

E ah!! A dica 6 pode te ajudar a oferecer mais opções logísticas para o seu cliente sem precisar fazer contratos. Dá uma olhada! 😉

Descubra se o fulfillment é viável para você

Apesar de ainda ser relativamente recentes no país, o fulfillment pode ser interessante para alguns negócios.

Funciona mais ou menos assim: você deixa o seu estoque com uma empresa terceirizada e essa empresa se responsabiliza por armazenar e enviar os seus produtos após a venda.

Como a maioria dos serviços de fulfillment ficam localizados no Sudeste (região responsável por mais de 60% dos pedidos do e-commerce), você consegue oferecer fretes competitivos para a maior localidade consumidora do país.

Além disso, os serviços de fulfillment costumam oferecer embalagens a preços diferenciados e tabelas de frete mais acessíveis. É outra opção que precisa ser levada em consideração.

Tente implementar uma estratégia de pontos de retirada

Antes exclusividade das grandes redes de lojas físicas, os pontos de retirada estão começando a ser utilizados por pequenos e médios empreendedores.

Na prática, isso é viável por meio de serviços como Jadlog Pickup e Clique e Retire dos Correios (entre outros).

Ambos funcionam de uma forma bem parecida: os produtos são enviados para um estabelecimento e ficam à espera da retirada do cliente.

A estratégia contribui para baratear o frete, pois acaba com uma das etapas mais caras da entrega: a última milha, ou seja, aquela distância final entre o galpão da transportadora e a casa do cliente.

5 – Diminua custos com logística reversa

Segundo análise da Forrester Research, a taxa de devolução do e-commerce brasileiro é de 4%, um número bem modesto quando comparado aos 12% registrados nos Estados Unidos.

Ainda assim, os gastos com logística reversa podem impactar negativamente o lucro de um negócio virtual. Isso acontece porque, na maioria das vezes, o frete de retorno é pago por quem vende a mercadoria.

Quando o cliente exerce o direito de arrependimento (garantido pelo Código de Defesa do Consumidor), o lojista é obrigado pela lei a arcar com os custos da devolução.

No caso das trocas, por outro lado, a responsabilidade varia de acordo com a política de trocas estabelecida pela loja virtual (uma regra prevista no decreto nº 7.962, mais conhecido como Lei do E-commerce).

Na prática do mercado, consagrou-se que o frete reverso sai sempre do bolso do lojista. E por isso é tão importante pensar em formas de diminuir a taxa de devolução do seu negócio virtual.

E eu tenho algumas dicas que vão te ajudar a economizar no frete reverso. Dá uma olhada! 👇

Forneça descrições detalhadas dos produtos

Isso é importante para todos os nichos, mas principalmente para quem trabalha com vestuário.

Precisamos ter em mente que o cliente não está vendo e tocando na nossa mercadoria, como faz em uma loja física. Logo, é necessário fornecer todos os detalhes possíveis: fotos, vídeos, infográficos. Qualquer material capaz de ajudar o consumidor é bem-vindo!

Por exemplo: em vez de dizer apenas que uma camiseta é “tamanho M”, diga que a camiseta é “tamanho M, com 70 cm de altura e 54 cm de distância entre os ombros”. Bem mais específico, né?

Incentive reviews de clientes

De acordo com o EQI (E-commerce Quality Index), 95% dos consumidores leem reviews de outros clientes antes de comprar.

Quem nunca se baseou na indicação de alguém para comprar algo, né? A opinião de outras pessoas sobre determinado produto nos ajuda a identificar se aquele item é o correto para a gente.

Por isso, incentivar reviews de clientes é uma ótima prática para evitar gastos com trocas e devoluções.

Tenha uma política de trocas transparente

Trocas e devoluções podem causar insegurança nos seus clientes. É papel de quem vende fazer todo o possível para minimizar atritos. Afinal, o que está em jogo aqui é a fidelização a longo prazo.

A já citada Lei do E-commerce obriga os sites de comércio eletrônico a terem uma política de trocas visível em suas páginas. Aproveite esse espaço previsto pela legislação para fornecer informações vitais para os seus clientes.

 

Checklist: o que não pode faltar em uma boa política de trocas

✅Como funcionam trocas e devoluções da loja

✅Quais são os prazos envolvidos na operação

✅Os produtos são coletados na casa do cliente? Ele deve levar até a transportadora? Isso precisa estar claro

✅Informações de contato são imprescindíveis

✅Forneça um passo a passo explicando o que seu cliente precisa fazer caso precise trocar ou devolver um produto

Dica 6 – Use uma plataforma de gestão de fretes

Economizar no frete não é exatamente a mais simples das tarefas, né? Por sorte, a tecnologia pode ser uma aliada valiosa nessa missão. E eu vou te contar como. 👇

O jeito mais simples de economizar no frete é usar uma plataforma de gestão de fretes.

Em algumas destas plataformas, você consegue gerar fretes com várias transportadoras sem precisar de contrato. E tudo pela internet! É só acessar, simular e escolher a melhor opção!

Além de levar mais praticidade para o seu negócio, as plataformas de gestão de frete podem te ajudar a economizar dinheiro.

Um exemplo desse tipo de tecnologia é o Melhor Envio. Como tem mais de 300 mil lojistas cadastrados e intermedia um volume expressivo de envios, a plataforma consegue negociar fretes mais baratos com as transportadoras.

Interface do Melhor Envio, uma plataforma de gestão de fretes

Graças a isso, você pode aproveitar descontos de até 75% nos seus fretes! A plataforma é gratuita, não tem mensalidade ou limite mínimo. Você só paga quando (e se) usar.

Faça como mais de 300 mil lojistas brasileiros: use uma plataforma de gestão de fretes para economizar tempo e dinheiro nas suas vendas online.

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post