PageRank do Google não está morto: saiba porque ainda importa

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Se você trabalha com SEO há alguns anos, provavelmente já ouviu falar do PageRank do Google, certo?

O layout da página era esse:

pagerank

Fonte: SEL

Essa ferramenta mostrava o PageRank de uma página (a autoridade de uma página), em comparação com todas as outras que você já tivesse visitado através de um sistema logarítmico em escala de 0 a 10.

Contudo, em 2016 o Google removeu oficialmente qualquer suporte relacionado ao PageRank, sendo que desde 2013 não existiam atualizações no algoritmo. Por isso, essa ferramenta do Google não é vista como uma métrica relevante para o SEO atualmente.

Por outro lado, o próprio Google já afirmou que continua utilizando os dados de PageRank para o ranqueamento de sites. O que mudou é que não temos mais acesso a estas informações.

Veja abaixo um tweet de Gary Illyes sobre o uso do PageRank e outras centenas de variáveis para ranqueamento no Google:

pagerank google

Acesse o estudo compartilhado por Gary Illyes aqui: The Anatomy of a Large-Scale Hypertextual Web Search Engine.

Pensando nessa importância por vezes ignorada atualmente, neste artigo vamos:

  • Mostrar a importância que o PageRank do Google ainda representa;
  • Explicar os fundamentos da matemática envolvida no PageRank;
  • Comentar sobre outras métricas que podem ser utilizadas atualmente.

O que é o PageRank do Google?

O PageRank (PR) é um algoritmo que julga a autoridade de uma página através da quantidade e qualidade de outras páginas que linkam para ela. O seu objetivo é determinar a importância de um determinado site para a internet.

Os cofundadores do Google Sergey Brin e Larry Page criaram este modelo matemático em 1997 em um projeto de pesquisa da Universidade de Stanford. O principal objetivo do projeto era melhorar a qualidade dos motores de busca da internet.

É importante lembrar que nem sempre os motores de busca foram tão eficientes quanto o Google é hoje. Na verdade, a eficiência entregue pelos resultados do Google e outros motores de busca não para de crescer.

Com o desenvolvimento deste algoritmo, o objetivo era resolver problemas de ranqueamento de páginas nos buscadores. E o funcionamento da ferramenta foi inspirado no que já acontecia nos artigos científicos na época.

No contexto no qual Sergey e Larry estavam inseridos, a importância de um artigo era definida considerando a quantidade de outros artigos que faziam referência ao estudo principal. Assim, os pesquisadores utilizaram deste conceito para desenvolver o motor de busca que hoje conhecemos como Google.

Como o PageRank do Google funciona?

Vamos explicar agora a fórmula do PageRank segundo o estudo original publicado em 1997.

  • Vamos assumir que a página A tem páginas T1…Tn, que apontam para a página A (ou seja, são citações).
  • O parâmetro “d” é um fator de amortecimento que pode ser definido entre 0 e 1. Normalmente utilizamos o valor de 0,85.
  • C(A) é definido como o número de links que saem da página A.

O PageRank (PR) da página A é determinado conforme segue:

PR(A) = (1‑d) + d (PR(T1)/C(T1) + … + PR(Tn)/C(Tn))

Obtém-se desta forma uma distribuição probabilística, ou seja, a probabilidade de um usuário chegar à página A.

Confuso? Vamos simplificar para você

O Google originalmente levava em consideração três fatores para calcular o PageRank de uma página, sendo:

  1. A quantidade e qualidade de páginas com Inbound links (um inbound link é um link do seu site que é colocado no site de outra pessoa ou marca).
  2. O número de Outbound links em cada página (um outbound link é um link do seu site que direciona para outro site).
  3. O PageRank de cada página que contém estes links.

Vamos considerar que a página C tem dois links:

  • Um da página A
  • Um da página B

A página A é mais forte do que a página B, que também tem menos outgoing links. Essa informação deve ser colocada no algoritmo do PageRank, para então chegar ao PageRank da página C.

Veja abaixo uma ilustração de como o PageRank funciona de forma simplificada:

o que e pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

Como vimos acima, a fórmula para calcular o PageRank conta com um “fator de amortecimento”. Este fator vai simular a probabilidade de um usuário aleatório clicar em um link durante uma pesquisa na internet.

A chance de um clique aleatório vai diminuir, conforme o número de links aumentam. Vamos entender:

  • A probabilidade de você clicar em um link da primeira página que você visita é razoavelmente alto. Mas a chance de você clicar em um link desta nova página acessada vai diminuindo conforme a quantidade de cliques aumenta.

Assim, é feita uma multiplicação:

 

Soma dos fatores de inbound e outbound links  

X

Fator de amortecimento (usualmente 0,85)  

=

 

PageRank

Veja o exemplo abaixo:

pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

Neste exemplo, quando a BBC faz um link para a primeira página, a força deste link é grande. Mas quando começa a aumentar o número de cliques, a força do link diminui.

E se não soubermos o PageRank da página A ou da página B?

Para calcular o PageRank de todas as páginas na internet, é preciso saber pelo menos o PageRank da primeira página, certo?

Na verdade, o algoritmo do Google consegue detectar o PR de uma página sem saber o PR das páginas linkadas. Isso é possível porque o PageRank não é uma ciência exata, e sim uma mensuração relativa da qualidade de uma página.

Leia este artigo se você quiser entender ainda mais.

Por que o Google removeu os resultados públicos de PageRank?

Em 2016, um porta-voz do Google disse que como a internet havia aumentado sua complexidade, a ferramenta de PageRank estava se tornando menos útil para os usuários como uma métrica isolada. Assim, a remoção da barra de PageRank ajudaria a evitar problemas de interpretação das informações fornecidas.

Mas na verdade, outro fator muito importante era que os profissionais focados em otimização de sites – que oferecem serviços como consultoria SEO, por exemplo – estavam criando links de spam em busca de melhorar seus resultados no PageRank do Google.

Afinal, esta era a única forma visual de mostrar o quanto uma página era forte na internet, ainda que outros fatores já fossem considerados pelo Google. E como consequência, o mercado de venda de links para melhorar o PageRank de páginas começou a crescer.

Na verdade, este ainda é um mercado hoje, mesmo que a barra de resultados de PageRank não seja mais visualizada pelos usuários.

Uma das estratégias mais usadas durante os anos 2000 para aumentar o PR de sites consistia em deixar comentários em blogs. Dessa forma, donos de sites criavam links em milhares de outras páginas.

Mas ao perceber os efeitos negativos no seu algoritmo, em 2005 o Google se uniu a outros motores de busca para buscar por uma solução.

A criação da tag ‘nofollow’

A fim de resolver o problema de criação de links que estava acontecendo, os motores de busca desenvolveram a tag nofollow, que permite o bloquear a transferência de autoridade de página para outros sites que realizam comentários em blogs, por exemplo.

Em seu anúncio oficial de lançamento das tags ‘nofollow’ em 2005, o Google afirmou que:

“Se você é dono de um blog, já deve estar familiarizado com o problema de comentários sem relação com o assunto publicado promovendo seus produtos. Anúncios como “visite meu site com descontos em produtos farmacêuticos” são os chamados comentários-spam, e eles também nos incomodam.

Por isso, a partir de agora quando o Google visualizar a tag rel-“nofollow” em links, estes não receberão qualquer crédito para ranqueamento em nossos resultados de buscas.

A partir desse anúncio, a prática de comentários descontrolados em blogs deixou de ser uma estratégia para construção de PageRank. Contudo, outra forma de modelar os resultados de PageRank surgiu.

Modelagem do PageRank

Se considerarmos a fórmula original de PageRank, temos que o peso do PR será igualmente dividido entre os outgoing links de uma página. Portanto, se uma página tem PageRank y, com 10 outgoing links, cada uma dessas páginas receberá uma transferência de autoridade de y/10.

Mas agora com a tag ‘nofollow’, o que acontece quando o PR for atribuído a apenas 5 das 10 páginas?

Veja o exemplo abaixo com três links de saída:

links de saida pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

No início, a regra se manteve assim: se antes o PR era 10, e existiam 10 links de saída, cada um recebia 1 ponto. A partir do momento que a tag nofollow era utilizada em 5 dessas 10 páginas, as 5 remanescentes acabavam recebendo 2 pontos proporcionalmente.

Contudo, as pessoas começaram a modelar seu próprio PageRank utilizando a tag nofollow para isso. Como a barra de resultado de PageRank era visualizada, era fácil de fazer testes de quais páginas geravam uma melhora na pontuação de PR, e quais diminuiam esse valor.

Por entender que esta era uma prática errada, o Google fez mudanças no funcionamento do algoritmo novamente em 2009.

Segue uma ilustração da diferença abaixo:

links pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

Dessa forma, se o número de links diminuir com a utilização da tag nofollow, a força dos links que restaram continuará sendo a mesma. Para o exemplo de uma página com 10 links de saída, mesmo que 5 deles fossem desativados pelo nofollow, as outras 5 continuariam recebendo 1 ponto de PR.

Porém, como hoje os fatores de ranqueamento do Google não são mais tão claros, é possível que a regra tenha mudado mais uma vez. Talvez até mesmo a posição do link na página mude a forma como a autoridade de uma página é transferida para outras.

Mas o fato é que simplesmente utilizar tags de nofollow em links para aumentar a força de outros, não vai ajudar.

O Google foi (lentamente) cortando o poder do PageRank

Depois de realizar a mudança na forma como o PR era passado entre páginas “dofollow” e “nofollow”, o Google removeu os dados de PageRank das Ferramentas para Webmasters.

Depois, em 2014, outra notícia que diminuiu ainda mais o poder do PageRank, foi quando John Mueller, funcionário sênior do Google, indicou que as pessoas deveriam parar de usar o PageRank pois seus dados não seriam mais atualizados.

Em vez disso, ele indicou que as pessoas considerassem o que os usuários querem fazer em seus sites, e determinar uma métrica apropriada para tal.

Dois anos depois, em 2016, a barra de resultados do PageRank foi oficialmente deletada.

Existe alguma ferramenta que substitui o PageRank?

Não existe outra ferramenta igual ao PageRank. Ponto final. Mas existem métricas similares, como as oferecidas pelos sistemas das empresas Ahrefs, Moz e Majestic.

O que é URL Rating (classificação de URL)?

Esta é uma métrica que informa qual a força de um perfil de backlink de uma URL alvo, em uma escala de 1 a 100.

Qual a relação do URL Rating (UR) com o PageRank?

Ainda que as ferramentas disponíveis no mercado considerem fatores parecidos com o que era divulgado sobre o PageRank no passado, apenas o Google sabe tudo o que está envolvido no ranqueamento do próprio motor de busca.

Mas considerando aqueles critérios utilizados no PageRank desde a sua criação, as métricas atuais utilizam informações como:

  • Contagem de links entre páginas;
  • A tag ‘nofollow’ é considerada nas análises;
  • Existe o “fator de amortecimento”.
  • É feita uma busca profunda nas páginas da internet, para que o cálculo de URL Rating seja confiável.

Porém, lembre-se que estes critérios eram utilizados no início dos anos 2000. É claro que hoje, depois de 2 décadas, os critérios mudaram e se tornaram muito mais sofisticados. Portanto sem estar dentro do Google, com as informações disponibilizadas na fonte, é impossível encontrar os mesmos resultados que eles.

Quais as diferenças de uma classificação de URL para o PageRank do Google?

Como já mencionamos acima, não é possível saber quais são as diferenças em detalhes. Além disso, existem muitas variáveis dentro da classificação de uma página. Veja no exemplo abaixo:

pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

Na imagem é possível perceber que as conexões criadas entre diferentes páginas na internet são muito diversas. E por isso, nenhuma empresa consegue responder todas as perguntas relacionadas ao PageRank do Google.

Existem muitas dúvidas quando paramos para pensar sobre as centenas de fatores considerados pelo Google para atribuir autoridade a uma página.

Algumas evidências apontam para a resposta de duas delas, como você verá abaixo. Mas para a grande maioria das dúvidas existem apenas especulações.

1. A transferência de autoridade de ranqueamento acontece de acordo com a localização do link na página?

A patente ‘Reasonable Surfer’ do Google indica que sim, existe uma diferença na força de links que se encontram no início das páginas, e também nas laterais do site.

Veja abaixo uma ideia de como existem várias formas de realizar a transferência de PageRank de uma página para outra considerando a patente do Google:

pagerank google

Fonte: https://ahrefs.com/blog/google-pagerank/.

Os links estão:

  1. Próximo do topo do conteúdo principal;
  2. No meio do conteúdo principal;
  3. Próximo do fim do conteúdo principal;
  4. Na barra lateral do site;
  5. No rodapé.

2. Links internos transferem autoridade da mesma forma que links externos?

A patente do Google indica que este pode ser o caso. Por outro lado, esta informação estar em uma patente do Google não significa que este seja o critério adotado na prática. Portanto, não há uma resposta definitiva para esta pergunta.

Eu deveria usar alguma ferramenta para URL Rating como uma alternativa ao PageRank?

Independentemente se a sua decisão for contratar uma ferramenta para a determinação de autoridade da sua página ou não, lembre-se que os resultados não serão 100% iguais ao que o Google considera.

Dessa forma, se você utilizar uma métrica similar, não confie nela cegamente. É importante sempre revisar suas páginas e buscar melhorá-las como um processo constante de otimização do seu site.

Considerações finais

Muitas pessoas acabam não considerando o PageRank do Google como uma estratégia de SEO válida. Afinal, é uma ferramenta antiga, e ninguém mais tem acesso aos seus resultados.

Contudo, neste artigo apontamos para diversas declarações de representantes do Google que afirmam que estes fatores ainda importam para o buscador. Assim, é importante manter as estratégias de ranqueamento das suas páginas em dia.

Nossa intenção não é que você busque obsessivamente cumprir com cada critério de PageRank. Porque essas informações não são disponibilizadas pelo Google, e você estaria colocando um esforço desnecessário para entender cada fator de ranqueamento do motor de busca.

Mas sempre que você estiver trabalhando para a construir bons backlinks ou melhorar sua estrutura de linkagem interna, saiba que você estará indiretamente otimizando o seu PageRank.

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email