Eat e YMYL: Práticas recomendadas para o ramo da medicina

  • Home
  • Posts
  • Eat e YMYL: Práticas recomendadas para o ramo da medicina

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Você tem uma clínica médica de exames laboratoriais ou presta consultas em um consultório particular? Conheça o Eat para YMYL: práticas recomendadas para o ramo da medicina, as quais você pode utilizar no website de sua empresa para subir no ranking dos mecanismos de pesquisa.

Ao ingressar no mercado de serviços de atendimento médico, como clínica de exame laboratorial ou consultórios, é importante criar um site para que sua empresa seja conhecida no mercado, adquira confiabilidade por partes dos clientes e aumente a procura pelos seus serviços.

Uma vez que, as empresas que não marcam presença e oferecem seus serviços na internet, praticamente, não existem para seu público-alvo.

As práticas Eat para YMYL são muito importantes para que o site da sua empresa, adquira uma posição de destaque nos mecanismos de pesquisa, como o Google, Yahoo!, Bing, entre outros.

Confira a seguir o que é EAT para YMYL e como aplicá-los no site de sua empresa ou loja online, como é o caso da loja de equipamentos médicos.

EAT para YMYL: práticas recomendadas para medicina

Ao longo dos anos, você verá YMYL e EAT serem muito referenciados em discussões sobre SEO (Search Engine Optmization), ou seja, otimização de sites. 

Elas vêm das Diretrizes de classificação de qualidade de pesquisa (PDF) do Google, usadas por uma equipe profissional que avalia manualmente a qualidade dos resultados de pesquisa do Google.

Embora essas diretrizes não sejam projetadas para fins de SEO, elas nos fornecem informações adicionais sobre o que o Google está procurando nas páginas e no conteúdo – e alterações recentes no algoritmo principal do Google sugerem que o YMYL e o EAT desempenham um papel fundamental nos rankings de pesquisa.

O que são páginas YMYL?

YMYL é um critério que o Google utiliza para se referir a páginas da web e conteúdo que pode ter um impacto negativo na experiência do usuário, ser prejudicial em aspectos financeiros, entre outros.

Ou, como o Google os descreve em suas Diretrizes de classificação de qualidade de pesquisa, “páginas ou tópicos [que] poderiam impactar a felicidade, a saúde, a estabilidade financeira ou a segurança futura de uma pessoa”.

O Google oferece os seguintes exemplos de páginas YMYL:

Notícias e eventos atuais: notícias sobre tópicos importantes, como eventos internacionais, negócios, política, ciência, tecnologia etc.

Assuntos cívicos, governo e lei: informações importantes para manter um cidadão informado, como informações sobre votação, órgãos governamentais, instituições públicas, serviços sociais e questões legais.

Finanças: consultoria ou informações financeiras sobre investimentos, impostos, planejamento de aposentadoria, empréstimos, bancos ou seguros, particularmente páginas da web que permitem que as pessoas façam compras ou transfiram dinheiro online.

Compras: informações ou serviços relacionados à pesquisa ou compra de bens / serviços, principalmente páginas da web que permitem que as pessoas façam compras on-line.

Saúde e segurança: conselhos ou informações sobre questões médicas, medicamentos, hospitais, preparação para emergências, etc.

Grupos de pessoas: informações sobre ou reivindicações relacionadas a grupos de pessoas, incluindo, mas não se limitando, àquelas agrupadas com base em raça ou origem étnica, religião, deficiência, idade, nacionalidade, status de veterano, orientação sexual, gênero ou identidade de gênero.

Outros: Existem muitos outros tópicos relacionados a grandes decisões ou aspectos importantes da vida das pessoas que podem ser considerados YMYL, como fitness e nutrição, informações sobre moradia, escolha de uma faculdade, emprego, etc.

Por que as diretrizes YMYL são importantes?

O Google deseja fornecer o melhor conteúdo para cada consulta e também quer que os usuários saibam que podem confiar nos resultados.

Como mecanismo de busca, isso é naturalmente do interesse do Google, mas o surgimento de notícias falsas nos últimos anos e as revelações de que os SERPs do Google estavam sendo manipulados por editores de direita forçaram a gigante da tecnologia a adotar uma postura mais agressiva contra conteúdo não confiável.

Um ano depois, o Google atualizou suas Diretrizes de classificação de qualidade de pesquisa, que apresentam o EAT e o YMYL como um meio de determinar a confiabilidade do conteúdo.

Para os profissionais de marketing, o aspecto mais importante é que as páginas YMYL foram atingidas com muita força nas recentes atualizações de algoritmos principais do Google, o que nos mostra o quanto isso é significativo.

O que é EAT e qual a sua importância?

Isso nos leva de volta ao EAT, que significa “conhecimento, autoridade e confiabilidade. Essencialmente, o Google enfatiza mais a experiência das pessoas que publicam seu conteúdo, a autoridade do seu site e a confiabilidade do seu conteúdo.

O Google tem padrões de classificação de qualidade de página muito altos para páginas YMYL, já que as páginas YMYL de baixa qualidade podem impactar negativamente a felicidade, a saúde, a estabilidade financeira ou a segurança de uma pessoa.

O EAT é importante para todos os tipos de conteúdo e as atualizações recentes sugerem que esse é um grande fator para todas as pesquisas agora.

No entanto, o Google é especialmente exigente para o EAT quando determina que seu conteúdo pode afetar a qualidade de vida das pessoas de alguma forma.

Quais as práticas recomendadas para o ramo da medicina?

Como podemos observar, essas diretrizes são utilizadas pelo Google para avaliar se um site é confiável para o usuário, ou seja, se a página web estiver de acordo com as práticas de YMYL e EAT, a sua loja de equipamentos médicos, site da clínica, entre outros, serão classificados em uma posição de destaque.

Agora que sabemos o que é e qual a importância dessas diretrizes do mecanismo de pesquisa, confira como otimizar sua página web para YMYL:

Veja como otimizar para YMYL:

  • Determine se seu site, páginas e conteúdo são considerados YMYL.
  • Verifique se o seu conteúdo é publicado por pessoas com experiência genuína no tópico abordado.
  • Crie perfis on-line de experiência demonstrável para seus criadores de conteúdo: biografias de autores, conteúdo relevante publicado em seu nome em sites externos confiáveis, links para seus perfis sociais, citações em conteúdo externo relevante, palestras em conferências do setor etc.
  • Não ofereça conselhos que você não esteja em condições de fornecer, especialmente em tópicos do YMYL como saúde, finanças, bem-estar, direito, etc.
  • Verifique se o seu conteúdo é preciso.
  • Realize links em sites confiáveis ​​do mesmo setor e crie parcerias para oportunidades de conteúdo.
  • Use muitos dados para fazer backup de suas reivindicações e obter seus dados de fontes confiáveis.
  • Se você estiver criando conteúdo afiliado, certifique-se de que realmente ajude as pessoas a tomar decisões informadas de compra, não apenas aponte-as para vários links só para realizar vendas.
  • Modere qualquer conteúdo gerado pelo usuário para garantir que ele não ameace seus clientes potenciais de EAT.
  • Acima de tudo, verifique se você está qualificado para oferecer os conselhos dados no seu conteúdo e não se envolva em táticas enganosas. As maiores vítimas das recentes atualizações de algoritmos principais foram os sites da YMYL, que oferecem conselhos sobre tópicos como saúde, finanças e outros tópicos sérios, sem nenhuma prova demonstrável de seus conhecimentos.

O Google precisa conhecer essa experiência nos formatos que pode reconhecer (links, citações, etc.), para criar seu perfil on-line e voltar ao conteúdo existente para otimizar com EAT e YMYL.

 

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Artigos relacionados

Deixe um comentário