Criar site de vendas ou plataforma de e-commerce: como funciona cada um?

  • Home
  • Posts
  • Criar site de vendas ou plataforma de e-commerce: como funciona cada um?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

O comércio digital traz muitas possibilidades para empreendedores e consumidores em todo o mundo. Com as pessoas cada vez mais conectadas, ter um site de vendas para comercializar produtos pela internet pode colocar muitas pessoas em contato com sua marca.

Apenas para termos uma ideia, o e-commerce brasileiro teve um faturamento de R$ 61,9 bilhões em 2019, com uma alta de 16,3% nas vendas em relação ao ano anterior. Os dados são da Ebit|Nielsen e mostram como esse mercado pode ser promissor.

Se você considera essa possibilidade para empreender, vamos conhecer um pouco do que um site de vendas precisa ter, além de duas opções distintas para que você possa criar uma loja virtual. Acompanhe a leitura do artigo!

O que um site de vendas precisa ter?

Antes de apresentarmos as opções para criação de um site de vendas, primeiro vamos entender o que você precisa apresentar em seu endereço para que possa vender pela internet.

É claro que a estrutura de diferentes e-commerces pode variar um pouco, mas, abaixo, vamos entender o que é indispensável em uma loja virtual.

1. Apresentação dos produtos

Em primeiro lugar, para vender produtos ou serviços pela internet, eles precisam estar expostos aos visitantes do site. É importante que eles sejam dispostos de forma atrativa, para despertar o interesse dos usuários. Afinal, o objetivo é que as pessoas os comprem.

Por isso, é importante que você possa cadastrar os artigos no site com descrições completas e fotos de boa qualidade — de preferência, mais de uma e de vários ângulos. Lembre-se que os visitantes só podem conhecer os produtos por esses meios quando vão comprar pela internet. Então, garanta que eles podem ser bem apresentados em seu site.

Outro aspecto pode ajudar a conquistar a confiança do consumidor online é disponibilizar a avaliação desses artigos por outras pessoas que já os tenham comprado. Então, se puder colocar essa funcionalidade em seu site de vendas, pode ser uma forma de apresentar a prova social e legitimar as qualidades do produto e de sua loja virtual.

2. Meios de pagamento

O próximo passo para que uma venda possa ser concluída pela internet é o pagamento. Para que uma transação seja completada online, é preciso que seu site ofereça os meios que permitam isso.

As formas de integração desses meios de pagamento variam de acordo com a forma como você montar sua loja virtual, mas é importante tomar alguns cuidados. Ofereça mais de uma opção — entre cartões de crédito, débito, boleto e transferência bancária —, assim os clientes podem selecionar a que se encaixar melhor em seu perfil.

3. Meios de envio

Depois que os clientes escolhem os produtos e fazem o pagamento, é hora de se preocupar com a forma como os artigos chegarão à casa desse consumidor. É aí que entram os meios de envio.

Em seu site de vendas, você deve disponibilizar diferentes opções de frete.  Isso porque alguns clientes podem preferir pagar mais caro para receber antes suas encomendas,  enquanto outros não se importam de esperar mais desde que paguem mais barato.

Para que o cálculo de preços e prazos seja feito automaticamente, você deve fazer uma integração direta desses meios de envio com sua loja virtual. Dessa forma, a partir das características registradas para cada produto, como dimensões e peso, você terá a cotação de forma instantânea. Novamente, a forma de integração vai depender de como seu site de vendas foi criado.

4. Página de checkout

Outro aspecto com o qual você deve se preocupar quando for criar seu e-commerce é o da página de checkout, ou seja, o momento de finalização da compra.

Em primeiro lugar, é fundamental garantir a segurança naquele ambiente virtual. Afinal, o consumidor estará inserindo informações pessoais, como seus dados e o número do cartão de crédito. Nesse contexto, é normal que ele fique um pouco inseguro durante a transação online.

Para que seu site seja confiável, você deve ativar o certificado SSL. Indicado por um pequeno cadeado ao lado esquerdo da URL, ele garante que as informações digitadas naquele endereço permanecem privadas, ou seja, que não podem ser roubadas no momento em que o cliente as digita ali. Sua instalação também vai depender da forma como seu site foi criado.

Além disso, uma boa prática é disponibilizar o checkout transparente. Isso significa que, quando o cliente for realizar o pagamento, ele não deve ser direcionado para outra página enquanto o seu pedido é processado. Isso pode gerar certa desconfiança, além de ser pouco prático na experiência por dispositivos móveis.

5. Otimização para SEO

Quando falamos de vendas pela internet, outro aspecto que não pode ser deixado de lado é o SEO. Essa sigla nada mais representa do que a otimização do site para os mecanismos de busca.

Portanto, quando for criar sua loja virtual, você deve fazer um estudo de palavras-chave e de outras boas práticas para que o Google identifique e apresente seu e-commerce nos resultados das buscas dos usuários.

Além de utilizar os termos pesquisados nas páginas de produtos, em seus títulos, descrições e nomes dos arquivos das imagens, existem outros fatores relacionados ao sistema do site que podem impactar essa otimização. Alguns exemplos são o tempo de carregamento das páginas e a responsividade aos dispositivos móveis.

6. Foco na experiência do cliente

Por fim, seja qual for a forma como você cria seu site de vendas, é importante ter em mente a experiência do cliente ao navegar ali. Isso significa que ele deve encontrar com facilidade tudo o que quiser e não pode ter problemas para realizar as funções da compra.

Por isso, atente-se à organização do menu da sua loja virtual e da disposição dos produtos em categorias. Além disso, no momento de finalização da compra, não exija que o cliente preencha formulários enormes, peça apenas as informações necessárias para que o pedido possa ser processado.

Criação de site

Agora que já entendemos o que um site de vendas precisa ter, vamos conhecer como funciona a criação do seu e-commerce de zero.

Para essa opção, ou você vai precisar saber sobre desenvolvimento de sites ou, então, contratar um profissional que te ajude. Existem também opções um pouco mais simples, mas você ainda terá que tirar um tempo para entender como realizá-las.

Algumas possibilidade para essa criação de sites são:

  • profissional freelancer;
  • agência digital.

Os custos do serviço de criação do site de vendas podem variar de acordo com dois fatores principais: a complexidade do projeto e a experiência do profissional que for desenvolver sua loja virtual. Em geral, os preços podem variar de cerca R$500 até mais de R$10 mil, porém tudo vai depender de como será seu site.

Vale destacar, entretanto, que essa opção vai permitir uma personalização muito maior do seu e-commerce. Isso porque você vai poder montar o site a partir das necessidades que seu negócio tiver. Por outro lado, para fazer alterações, você vai precisar da ajuda do desenvolvedor.

Além disso, para as integrações com meios de pagamento e de envio, você precisará fazê-las uma a uma e negociar como um empreendedor começando um negócio. Isso pode, muitas vezes, impedir que você consiga taxas e tarifas tão vantajosas no início.

Plataforma de e-commerce

Uma plataforma de e-commerce é um serviço que você contrata para utilizar uma tecnologia já existente no momento de criar e gerir sua loja virtual. Dessa forma, você terá um painel para ir montando seu site, carregando os produtos e executando todas as funções de forma fácil e intuitiva.

Esse tipo de serviço tem custos variados, também de acordo com as necessidades do negócio. Existem opções gratuitas — e mais limitadas —, aquelas com preços intermediários, cujas mensalidades podem variar de R$14 a R$100, até as mais robustas e personalizadas, com valores que passam dos R$10 mil por mês.

Por um lado, considerando um empreendedor iniciando um e-commerce, as funcionalidades de uma plataforma de e-commerce costumam atender bem ao que o negócio precisa. Todavia, se for necessária alguma adequação de um serviço um pouco diferente do tradicional, pode ser que não seja possível realizá-lo de forma tão simples.

Em relação às integrações com meios de envio e de pagamento, normalmente as plataformas de e-commerce negociam com essas empresas considerando as vendas de todos os lojistas que utilizam seus serviços. Assim, fica mais fácil apresentar um volume de transações que renda melhores taxas e tarifas aos empreendedores.

Como escolher?

Agora que já conhecemos algumas características comuns do site de vendas, além de formas para sua criação, fica mais fácil identificar qual a melhor alternativa para seu empreendimento.

Vale ressaltar que não existe uma resposta certa sobre qual a opção superior para criação de um e-commerce, se o desenvolvimento do site ou a utilização de uma plataforma. Tudo vai depender das necessidades que você enxergar para seu modelo de negócios.

Na dúvida, estude bastante, converse com especialistas e procure conversar com lojistas que trabalhem com as diferentes opções. Dessa forma, você será capaz de tomar uma decisão bem fundamentada.

Quer receber um orçamento para criação de um site profissional?

compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Artigos relacionados

1 comentário em “Criar site de vendas ou plataforma de e-commerce: como funciona cada um?”

Deixe um comentário